Montanhas Race Enduro 2017, #2 – São Sebastião

Aproveitando o feriado prolongado de Corpus Christi, a segunda etapa do campeonato de mountain biking enduro, Montanhas Race, foi realizada na cidade de São Sebastião (SP) durante os dias 16 a 18 de junho.

Ocupada por índios Tubinambás e Tupiniquins antes da colonização portuguesa, São Sebastião é a cidade mais antiga do litoral norte do Estado de São Paulo. Quase tudo na cidade está localizado em uma pequena faixa plana entre o oceano e as montanhas da Serra do Mar. E, são essas montanhas que nos interessam.

A noite do dia 16, uma sexta-feira, foi o momento da distribuição dos kits dos atletas e do congresso técnico no restaurante Alecrim, localizado no centro turístico da estância balneária. No dia seguinte, a badalada praia de Maresias foi o lugar de onde se deu a largada da competição. A parir da Praça do Surf os atletas se deslocaram rumo à íngreme trilha da Especial 1, nas margens da Rodovia Doutor Manuel Hipólito Rego (BR-101). De início, os atletas já sentiram o peso característico do circuito Montanhas Race Enduro em um sofrido deslocamento ao escalar a montanha em uma trilha embrenhada na Mata Atlântica. Por outro lado, eles sempre são recompensados pelas paisagens ou por trilhas realmente competitivas. Dada a largada da Especial 1, Luis “Psycle” Altenfelder já sai da competição com o ombro deslocado momentos depois em uma curva.

Sem mais feridos, os competidores seguiram para as Especiais 2 e 3 por um massacrante deslocamento sob temperaturas infernais e na alta umidade do litoral. Essas duas trilhas ficam diretamente na costa e banhadas pelo oceano, entre as praias de Maresias e Paúba. Com o primeiro dia da competição terminando bem, os resultados parciais foram postos no Restaurante Terral, no mesmo bairro de Maresias a alguns metros da largada inicial. Era hora de almoçar e um banho de mar.

A base do evento para o segundo dia foi transferida para a região central de São Sebastião, na Praça da Vela. As trilhas das Especiais 4, 5 e 6 ficam nas montanhas ao fundo da área urbanizada da cidade, oferecem uma vista para Caraguatatuba (SP), Ilhabela (SP), para o canal de São Sebastião e para todo o parque industrial da Transpetro (subsidiária da Petrobras, responsável por cerca de 80% do combustível exportado pelo país).

A E4 é uma trilha já antiga conhecida pelos downhillers paulistas e já hospedou algumas etapas do campeonato estadual de downhill (DH). O destaque vale para a disputa travada na E5, uma pirambeira estilo DH. É uma das trilhas de treinamento do campeão Felipe Morais, e outros pilotos locais e de Ilhabela.

A E6 foi uma trilha construída para a competição. Parte do mesmo local da largada da E4, porém em direção ao sentido oposto. Extensos trechos em off-camber é sua característica principal, além de trechos de recuperação que seguem suas belas curvas, mais uma obra do legado de Thiago Velardi e toda a equipe do Montanhas Race.

Julio Giani, de Bragança Paulista (SP) é o campeão da segunda etapa do Montanhas Race Enduro 2017, pela categoria PRO. É seguido de Guto Affonso (equipe MTB Monte Verde), de Monte Verde (MG), e por Heitor Rodrigues, de Ilhabela – terra do downhiller e multicampeão Juninho Souza Cruz.

Pro

1 Julio Giani SP 9 min 13,60 s
1 Guto Affonso MG 9 min 32,70 s
Heitor Rodrigues SP 9 min 36,10 s

Giani já vem com o segundo lugar da primeira etapa e tem se apresentado como um  dos atletas mais consistentes deste campeonato junto com Guto Affonso. Julio segue na disputa pela temporada 2017, por isso mesmo, não teria como deixar passar em branco a oportunidade de uma entrevista com o líder.

(XR) Quem é você segundos antes de largar as especiais? (JG) Venho de uma jornada de vários campeonatos seguidos, então nervosismo ou apreensão antes de descer já não tenho tanto, mas dependendo dos adversários no campeonato a adrenalina entra mais em ação. Porém, independente de quem são, procuro me concentrar ao máximo e entrar em um estado de espírito sereno esquecendo tudo e colocando meu objetivo de vencer em primeiro plano. Respiro fundo e largo no intuito de acelerar o máximo que eu puder, as vezes até passando dos limites. ______ Como é sua estratégia de pilotagem, tanto nos deslocamentos quanto nas especiais? Nos deslocamentos esqueço um pouco que estou em uma competição, gosto de conversar com todos e curtir o rolê e os visuais. Procuro apenas gastar o mínimo de energia possível para estar bem para as descidas cronometradas, me alimento e me hidrato em praticamente todos os deslocamentos. Já nas especiais, minha estratégia é respirar junto com a pedalada e na mesma frequência da pista para não me afogar. Mantendo o foco um pouco mais a frente, para leitura de terreno e soltar o freio sempre que achar possível, deixo a pilotagem em si para o inconsciente, mas mantenho sempre o objetivo de não cair. ______ Como é sua rotina de treinamento? A partir do momento em que defini minhas metas e objetivos, obtendo informações de outros atletas e pesquisas, percebi que para alcançá-los teria que treinar todo santo dia. A relação de piloto e bike tem que ser renovada sempre ao dormir e acordar. O tempo em cima da bike é muito importante, seja pulando rampas, apenas pedalando, ou fazendo um treino parecido com a competição. Mas, minha rotina de treino necessitava de algo a mais para me manter forte em cima da magrela. Foi aí que corri atrás de um treinamento funcional. O dono do estúdio Perfect Move gostou muito da minha ideia me dando total suporte, e me permitindo treinar 3 vezes na semana. Além do funcional, uma vez na semana – no mínimo – faço pilates na Clínica Menin e Quiropraxia. Sendo assim, minha rotina de treino se baseia em treinamento funcional três vezes na semana, uma vez pilates e bike todos os dias exceto quando tenho campeonato no fim de semana. Aí um dia antes, além de descansar, aproveito para revisar a bike. ______ O que o motiva a competir? Sempre fui uma pessoa competitiva me envolvendo nos esportes e disputando campeonatos. Quando iniciei no MTB o que mais me motivou foi a confiança que meus pais depositaram no meu potencial me incentivando até hoje, assim como também o apoio e a presença da minha namorada e m treinos e campeonatos. Junto a isso, marcas e empresas começaram a me ajudar. Tenho que agradecer a cada um deles por continuar me motivando: Santa Cruz Bicycles, Amity, Perfect Move, Clínica Menin, Volk Store, NFL, Global Cycles, Jambike, Psycle, Villa Roxa e Mecânica Sapinho.

Resultados completos da segunda etapa do Montanhas Race Enduro 2017 em São Sebastião:

Resultados Montanhas Race Enduro 2017 #2 - São Sebastião (SP): Master 2, Master 3, Sênior.

Resultados Montanhas Race Enduro 2017 #2 - São Sebastião (SP): Pro, Feminino, Master 1, Amador.

Thiago Velardi, fundador do Montanhas Race | Foto: Adilson Martins

Thiago Velardi, fundador do Montanhas Race

Mas, chegou o fim

Nesta última sexta-feira,  30 de junho de 2017, o Montanhas Race através de sua fanpage no Facebook, anunciou o fim do circuito Montanhas Race Enduro. “Devido a falta de patrocinadores e atletas valorizando [o] empenho em evoluir o MTB brasileiro”, foram as palavras de Thiago Velardi, fundador do Montanhas Race e pioneiro da modalidade no Brasil.

O XRides MTB e toda sua equipe agradece o Montanhas Race pela parceria, pelo suor investido nas trilhas, pela história, e pelo silencioso legado que deixaram em nossas montanhas. Uma perda inestimável para o mountain biking brasileiro.

Aqui termina um campeonato que possuía o espírito das montanhas.


sexta-feira, 30 junho 2017 7:23 pm

Informamos que as próximas etapas serão canceladas!
Devido a falta de patrocinadores e atletas valorizando todo nosso empenho em evoluir o MTB brasileiro!!
Quem sabe em 2018….
Obrigado a todos atletas que participaram e os apoiadores!
#maisqueumacorridaéumestilodevida


18 24 14

#maisqueumacorridaéumestilodevida

Um Comentário
  1. Primeiro: as fotos são sensacionais, parece que estamos presentes nas trilhas.
    Segundo: uma pena o encerramento do campeonato, o Thiago colocava toda sua experiência e suor nas provas, muito técnicas e adorada pelos participantes, mas infelizmente em um pais que só pensa em futebol e marcas de bicicleta e acessórios que só pensam em lucrar em seu negócio deixam um campeonato como o do Montanhas Race morrer, uma perda lastimável para o esporte e jovens que estão cada vez mais presentes nas competições!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *