Enduro Brasil Cup – Segunda Etapa

texto: ANDRE BORTOLETTO · fotografia: ADILSON MARTINS

No esporte, são poucas as disciplinas que demandam o máximo do competidor, seja em condição física ou na capacidade de tomada de decisões mandatórias para assegurar o lugar mais alto no pódio. O Enduro MTB tem se provado em ser a disciplina mais exigente do ciclismo. O MTB Enduro consiste em tomadas de tempo em trilhas demarcadas onde 80% do percurso é de descida (downhill). Para chegar a essas trilhas demarcadas, é preciso se deslocar até elas, e nesse caso, subidas intermináveis são parte do cardápio. O piloto simplesmente deixa uma montanha e parte para outra. Insane! Passar um terço do dia entregando o máximo de performance sobre uma bike não se limita apenas ao esforço físico, é preciso ter algo a mais, é preciso ser um Contender.

Contender pode ser traduzido como alguém que quer competir, brigar e vencer. O Contender não desiste, ele cruza a linha de chegada superando as dificuldades. Ele se blinda e é capaz de resolver sozinho qualquer problema técnico ou emocional.

O Enduro Brasil Cup, também conhecido como Super Enduro Brasil, reúne os melhores Contenders do território nacional. Sua primeira etapa realizada em Nova Lima (MG) revelou uma dimensão que um esporte pode oferecer em termos de performance. Fato que se comprovou na segunda etapa em Campos do Jordão (SP) quando competidores com mais de 50 anos aceleraram forte em uma das competições mais duras do país.

O ano de 2017 reservou três etapas para este campeonato. A primeira etapa foi caracterizada com especiais longas, técnicas e de altíssima velocidade as quais o mineiro Leonardo Mattioli abriu com o melhor tempo. A flexibilidade operacional é uma característica deste campeonato que, de certa forma, aliviou aqueles menos preparados para cumprir o tempo mínimo requerido para o deslocamento.

Mas por que flexibilidade? Bom, diferentemente do campeonato mais técnico e brutal de todos os tempos, o Montanhas Race Eduro (MRE) de Thiago Velardi, que exigia que as largadas das especiais de cada atleta fossem em horários predeterminados, sem trégua. O Enduro Brasil Cup foi muito mais ameno em termos de resistência ao dispensar os horários fixos de largada judiando menos de quem não se preparou fisicamente. Isso fez com que com que a logística para executar os trechos cronometrados fosse mais simples maximizando a pancadaria durante a descida e menos a brutalidade física.

Campos do Jordão hospedou a segunda etapa do Enduro Brasil Cup. A Serra da Mantiqueira presenteou os Contenders com uma gravidade interminável: especiais com mais de dez minutos de duração fizeram do evento algo inédito mesmo para aqueles que já estão há anos no esporte. Clima super seco e calor marcaram as especiais nas famosas trilhas do Zig-Zag e Norba (Lausanne) que tiveram seus recordes superados.

O primeiro dia foi reservado aos treinos das quatro especiais (trechos cronometrados) e o segundo dia foi para valer. O representante do Vale do Paraíba Wallace Miranda foi o Campeão na categoria elite e no feminino Patrícia Loureiro, local de Campos do Jordão, foi a melhor entre as mulheres.

O evento foi muito mais organizado do que a primeira etapa em Nova Lima, isso mostra que a melhoria é sempre contínua sob os olhos do idealizador Thiago Boaretto. Vale reforçar que o enduro no Brasil tende a crescer muito mais. Esta etapa trouxe cerca de cem competidores, recorde absoluto no ano. Tanto grandes equipes como as pequenas estiveram na competição. Starminas e Joselitos Enduro Team (JET) foram as maiores. De qualquer forma, no resultado final, todos fizeram por merecer. Exemplo disso foi o primeiro lugar na categoria master conquistado por Franck Wesley – o Pezão – que conquistou o primeiro lugar na categoria, mesmo tendo passado há pouco tempo por um procedimento cirúrgico após uma terrível queda na Copa América de Downhill em são Roque (SP).

A terceira e última etapa volta para região metropolitana de Belo Horizonte (MG) mais precisamente em Nova Lima onde os competidores irão prestigiar a única corrida que segue os padrões internacionais da modalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *